Dia da Saúde e da Nutrição: 5 dicas de cuidado e prevenção

Manter uma alimentação variada e saudável, praticar exercícios físicos regularmente e realizar exames de maneira periódica são ótimas formas de se prevenir e evitar problemas de saúde. 


Confira a seguir 5 dicas importantes sobre este tema. 


1) Coma bem para evitar a anemia. É muito importante ficar atento ao aparecimento de sintomas como fraqueza, cansaço, indisposição, desânimo e palidez, que podem indicar que o corpo não esteja recebendo a oxigenação necessária para trabalhar com eficiência.


Esses e outros sintomas podem surgir pela diminuição da hemoglobina, pigmento avermelhado situado na hemácia ou glóbulo vermelho e que é responsável por levar o oxigênio dos pulmões para todas as células do organismo. Para produzir a hemácia, a medula óssea precisa de vários nutrientes, principalmente ferro, vitamina B12 e ácido fólico. Quando algum deles está em falta, uma das consequências é a anemia.


Vale ressaltar que os sintomas característicos da anemia também ocorrem em outras doenças. Por isso, a avaliação de sua médica, ou seu médico, e a realização de exames laboratoriais adequados são fundamentais para possibilitar o diagnóstico correto.


2) Garanta uma alimentação saudável para as crianças. Dados do Ministério da Saúde mostram que 21% das crianças brasileiras, com menos de cinco anos de idade, têm anemia. Crianças prematuras podem nascer com propensão à anemia, porque é no último trimestre da gestação que sua reserva de ferro é formada. A parasitose também é uma causa de anemia e ocorre como consequência da ingestão de água e/ou alimentos contaminados. Juntamente com a qualidade da água, é importante prestar atenção à composição da dieta, já que, depois dos seis meses de vida, a criança precisa de uma alimentação mais diversificada, além da amamentação. 


Alguns sinais de anemia em crianças são: palidez da pele e das mucosas, irritabilidade, desânimo, falta de apetite, apatia e dificuldade de aprendizagem. Além disso, o sistema imunológico pode ficar comprometido, o que deixa a criança mais vulnerável a contrair infecções. É preciso oferecer uma alimentação variada a partir dos seis meses de vida, com leite, frutas e papas salgadas que contenham carne ou frango, diversos tipos de folhas verdes escuras, legumes, gema de ovo cozido, etc. O ideal é não bater muito a papinha e, se possível, só amassar com o garfo. 


3) Adote cuidados redobrados com a alimentação durante a gestação. Segundo o Ministério da Saúde, 29,4% das mulheres entre 15 e 49 anos no país têm anemia. A mulher deve ficar sempre atenta ao seu ciclo menstrual e procurar um médico em caso de sangramento excessivo. Se for o caso, é necessário pensar também em perdas de sangue pelo trato gastrointestinal. Mas, é durante a gestação, principalmente durante o terceiro trimestre, que ela fica mais vulnerável, pois a maior parte de suas reservas de ferro é destinada ao bebê que está se formando. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), entre 20% a 40% das gestantes no Brasil apresentam anemia. 

Por segurança, porém, faz parte do pré-natal a suplementação de ferro e de outros nutrientes, justamente para repor as necessidades dessa fase. Essa reposição é especialmente importante nos casos em que a gestante apresenta enjôo, aversão a determinados alimentos e falta de apetite. Para além desses sinais, sua médica e seu médico de confiança perceberão quando a gestante precisar de investigações adicionais para detectar outras causas de anemia.


4) Se tiver mais de 65 anos, reforce a ingestão de nutrientes. Segundo a OMS, 10% das pessoas com mais de 65 anos têm anemia. Em geral, nessa faixa etária, a pessoa só descobre o problema porque vai ao médico acompanhar alguma outra doença. O motivo mais comum é a perda de sangue por lesão no aparelho digestivo. Além disso, é possível que a absorção do ferro seja afetada pelo uso de algum medicamento. Em outros casos, por problemas de dentição ou deglutição, a pessoa pode rejeitar o consumo de carne, alimento altamente rico em ferro. Nesses casos, é recomendável ingerir carne moída, frango desfiado, feijão amassado e folhas batidas.


5) Realize exames laboratoriais periódicos. Para identificar a deficiência de certos nutrientes e vitaminas em seu organismo, prevenindo assim a ocorrência de problemas de saúde relacionados à má alimentação, realize de maneira periódica um check-up de exames laboratoriais. 


O Laboratório Santa Paula oferece esses exames a preço de convênios, com a realização de análises e diagnósticos específicos para homens e mulheres, prazos especiais para pagamento, agilidade no atendimento, e inclusive possibilidades de coleta domiciliar e impressão de grupo sanguíneo e fator Rh em seu cartão, para assim agilizar o pronto atendimento em caso de emergências.


Consulte sua médica, médico, nutricionista, nutróloga ou nutrólogo, profissionais da área de sua confiança. E, caso necessário, conte com nossos serviços.


Com informações do nosso parceiro Laboratório Fleury.


Consulte a relação de exames do nosso check up laboratorial para os sexos masculino e feminino: canal de atendimento do Laboratório Santa Paula por whatsapp.